OBRIGADO POR ME PRESTIGIAR!

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

��OFICENA CURSO DE TEATRO (Depoimento dos próprios estudantes) #teatro #a...

De tudo que já realizei na vida, o OFICENA foi um dos projetos mais ousados, graças à ousadia de pessoas como José Facury Heluy​ Italo Luiz Moreira​ e Yuri Vasconcellos​, pude mergulhar num trabalho onde coloquei em prática toda a minha formação pedagógica que envolve uma formação completa na ONG Criada pelo grande mestre educador Paulo Freire (CECIP), onde fiz um curso chamado Facilitador de Mudanças Educacionais!

O OFICENA foi um projeto incrível, que envolveu, de 2013 a 2018 toda uma ecologia da juventude de Cabo Frio, de todas as classes sociais. O resultado, foi um trabalho de grande habilidade política, onde conseguimos nos unir num projeto que colocou uma geração em Diversas Universidades espalhadas pelo Brasil. 

Este é o primeiro vídeo, de uma série, que pretendo  publicar, envolvendo o OFICENA sob o ponto de vista dos próprios estudantes. 

Sou muito grato à cidade de Cabo Frio, por ter me dado esta oportunidade. Sei o quanto foi difícil para colegas de oficio, garantir o espaço político para que eu pudesse trabalhar em paz, dentro de algo que eu acredito e que é uma forma interessante de passar o conhecimento do teatro.

Durante o curso, trocamos a maneira tradicional e europeia de ensinar teatro, valorizando as danças indígenas, africanas e orientais. Além de uma prática de escrita livre e construção de ecologia artística para que os estudantes pudessem exercitar o teatro como OFÍCIO!

Foi fácil? Não...

Foi difícil? Eu diria que foi desafiante...

Fiz isso sozinho? Jamais, nunca... trabalhamos em equipe inclusive com cobertura dos alunos e seus familiares durante os períodos mais difíceis!

Cabo Frio não me deve nada, senão a alegria de colocar nesse projeto, pessoas que estão acima da sanha por poder e que buscam, de verdade, o cuidado e a formação de jovens para o teatro e para as artes! (Jidduks) 

sábado, 16 de novembro de 2019

MÍMICO DANÇANTE (Dançando conforme a música?) #MímicaMaravilhosa #jiddu...

A vida passa rápida demais para não aproveitarmos. Penso nisso muitas vezes quando estou fazendo mímica. Penso que o público está tendo a oportunidade dele e, portanto, eu tenho que oferecer meu melhor. Por isso sempre me deixa feliz saber que estou em volta de pessoas contagiadas pela energia do meu personagem, o PREZEPINO que já está ficando coroa igual o seu criador.

Mostrar a energia da mímica através da arte do encontro com pessoas é uma das melhores formas de tornar a vida possível, apetecível, especial. É assim mesmo que tudo se faz e se refaz em nosso coração. Nesses tempos de gigantes adormecidos, é preciso acordar o esplendor e o amor dentro de nós, o tempo todo.

Não é?



terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Jiddu Saldanha - Grandes momentos em Videos.

Momentos da mímica tradicional clássica de Jiddu Saldanha, discípulo de Everton Ferre e Luis de Lima. 28 anos de história do espetáculo "Por Detrás do Silêncio". Quem viu, quem viveu esses momentos, jamais o esquecerá. Acredite na mímica, a arte do coração e da alma!
Segue abaixo, uma sequência de vídeos de alguns momentos ao longo da carreira de Jiddu Saldanha.

Show de mímica completo e na íntegra.

No Chile, em 2014, shows, conferências, oficinas. Primeiro estrangeiro a receber,
naquele país, o prêmio Yolanda Hurtado.

Em 2011, na cidade de Barbacena, durante a culminância da oficina de estatuísmo,
uma técnica milenar de mímica tradicional, ensinada para jovens e adultos.

Em 2010, uma entrevista inesquecível ao cartunista Ziraldo, falando um pouco da 
carreira artística e da arte da mímica, com uma linguagem direcionada à crianças.

Em 2009, abertura do Festival de Cinema de Cabo Frio, com uma bela homenagem 
a Charles Chaplin.

Em 1994, uma homenagem especial ao meu primeiro mestre de mímica,
Everton Ferre, no teatro do SESI, em Belo Horizonte, com a orquestra de câmara
"Carlos Vaz de Carvalho".

"A ARTE É ÚNICO MEIO DE TORNAR A VIDA POSSÍVEL" 
(Nietzsche)

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

O Maravilhoso Mundo da Mímica - SESC Piracicaba - Fevereiro de 2018.

Mímica tradicional clássica, emoldurada com palhaçaria e
música. Meus parceiros, Nathally Amariá e Harley em
um momento antes de inciarmos a função no SESC Piracicaba.
 FOTO: Gabi Tejada - 2018
A mostra "O Maravilhoso Mundo da Mímica", do SESC de piracicaba, não é apenas uma agenda que dá aos artistas envolvidos, a dignidade de ter um cachê e boa infra estrutura para trabalhar. Nesta mostra, o SESC se conecta com uma das melhores tradições do fazer artístico nacional, e oferece ao público, a possibilidade de ver o trabalho daqueles que, longe do glamour da mídia, estão por trás de grandes acontecimentos artísticos do país.

*
A mímica vem narrando sua história no Brasil desde a década de 50, quando Ricardo Baneira e Luis de Lima, cada qual na sua esfera, traçaram algumas bases que são seguidas até hoje, embora a juventude, em grande parte, desconheça a raiz histórica que pavimentou o caminho que fez desta arte, uma prática que hoje em dia, envolve centena, talvez milhares de artistas que descobrem, a cada dia, o valor que a mímica confere ao panorama artístico brasileiro.

Prezepio, personagem de "Por Detrás do Silêncio", muitas alegrias e
história pra contar. Foto: Gabi Tejada - SESC Piracicaba - 2018.
Quando me apresentei recentemente, no SESC de Piracicaba, o Iluminador, Guto, funcionário da casa, me contou ser genro do Ricardo Bandeira, um dos grandes mímicos brasileiros, pioneiro desta arte no Brasil. Bandeira foi um desbravador. Talvez, os mímicos brasileiros não se deem conta do quando devem a ele. Sua ousadia, de levar uma arte solitária, da forma mais solidária possível, foi um passo definitivo, para a construção da ecologia da mímica no Brasil. Guto me contou algumas histórias, de forma rápida, incrível é que, enquanto ele falava, minha memória refrescava e eu lembra que havia lido sobre algumas passagens da vida do grande mestre da mímica.  É incrível como tudo se completava e a informação ia se arredondando e tudo parecia fazer sentido. 
Meu único contato com Ricardo Bandeira foi através de um telefonema, em 1994, quando comecei a fazer um catálogo de mímicos, tive uma ótima conversa com ele, lembro que paguei uma conta telefônica bem alta e praticamente não tinha recursos para levar adiante a ideia deste catálogo que, apesar de tanto esforço, malogrou no meio do caminho. Mas deixou a marca de grandes amizades com praticantes desta arte como, por exemplo, a reaproximação com meu mestre Everton Ferre, e construção de uma teia de cumplicidade com os mímicos da minha geração e da geração anterior à minha. Eduardo Coutinho, Fernando Vieira, Lina do Carmo, Alberto Gaus e Vicentini Gomes, só para citar alguns.


No palco do SESC de Piracicaba, a mímica reconectada com sua tradição, através da mostra
"O Maravilhoso Mundo da Mímica". Foto: Gabi Tejada - 2018

A mostra que está sendo realizada no SESC de Piracicaba, durante este mês de fevereiro de 2018, tem forte valor simbólico para a arte da mímica. A curadoria foi feita pelo mímico de São José dos Campos, Carlos Alberto Javkin, que também viveu momentos incríveis e presencial com o mestre Ricardo Bandeira, dividindo com ele, uma vida dedicada à arte. Javkin recriou a linda forma de levar para uma instituição de peso, um pouco do esforço que é, praticar uma arte cheia de mistérios e quase invisível, no Brasil. 
Parabéns ao SESC de piracicaba, repetiu um feito só realizado pelo SESC consolação, em 1996. Uma mostra completa, de mímica, com direito a catálogo e informações sobre os praticantes desta arte.
Os mímicos estão aí, fortes e atuantes, o Brasil está na paisagem. A mímica é uma das mais antigas formas de arte teatral, na cultura humana. Uma forma quase primitiva de se expressar artisticamente. Apesar de tantas teorias, tantas técnicas, tantos discursos acadêmicos, o mímico ainda é aquela criatura que cutuca as pessoas de forma quase imperceptível em que  pese tantos ruídos da vida contemporâneo.
Hoje, sinto orgulho de ser Pantomimo Clássico, e pude sentir na plateia do SESC de Piracicaba, o quanto a juventude se fez presente e não perdeu a fé na nossa arte que se expressa através do gesto, do silêncio e dos sons larvários. Ser mímico, não é atingir milhões de pessoas com entretenimento, apenas, ser mímico é um sopro divino, no coração do público, que nos assiste em algum momento e, com ou sem agenda cheia, os mímicos brasileiros estão resistindo e seguem firmes no caminho.

(Jiddu Saldanha - Mímico e Blogueiro).

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Por Detrás do Silêncio - Na ativa!

Um espetáculo que já percorreu mais de 150 cidades brasileiras em 26 anos de muita alegria, levando o teatro para as pessoas que gostam de viver e curtir a arte da mímica. Jiddu é um dos poucos artistas que ainda fazem mímica clássica, no estilo Marcel Marceau. Faz parte da geração 80 e foi aluno de Everton Ferre e Luis de Lima. Hoje em dia, seu trabalho ganhou novos contornos e sua arte permanece viva. Veja e curta as aventuras deste artista, entrando em sua Fanpage no facebook. Curta e se divirta, conheça sua agenda e saiba porque, a mímica teatral e a pantomima de estilo, voltou a ser um grande atrativo nos teatros brasileiros.





Fotos: Ricardo Schmith




quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Mosquera, Colômbia, IV Festival Internacional de Teatro.

IV Festival Internacional de Teatro da cidade de Mosquera - Colômbia - de 26 de agosto a 02 de setembro!
Feliz por viver mais este momento, desta vez, pleno e realizando diversos sonhos ao mesmo tempo. Comemoração das 50 mil visitas no blog Mimica Maravilhosa, que faz da mímica um sonho de encanto e amor, com muita arte, energia e coração verdadeiro. 
A retomada, em 2017 da temporada com o espetáculo "Por Detrás do Silêncio", em cartaz desde 1992, portanto, completando 26 anos de estrada. 
Outra grande alegria é o convite para representar o Brasil no IV Festival Internacional de Teatro de Mosquera, Colômbia; aliás, um país que sempre quis conhecer, só não imaginava que seria de forma tão sublime. Adentrar as terras do grande mestre da literatura, Gabriel García Marquez, na condição de artista, podendo desfrutar de uma agenda de trabalho.
Outro grande presente, inestimável, é poder estar com a poderosa atriz Karol Schtitini, a quem tive o prazer de dirigir num solo, com o qual ela circula desde 2012. "Residência no Redemoinho" traz a marca de uma das mais fortes atrizes de seu tempo. Karol, tem uma carreira sólida e não são poucos os lugares por onde ela já andou com este magnífico espetáculo, cheio de energia, e muito amor, plantado ao longo do caminho. Mais do que isso, seu trabalho é da mais fina competência, o que por si só, já compensa 

Reencontro com Karol Shcittini na Colômbia - 2017
Jiddu Saldanha - Mímico e Blogueiro