UM ARTISTA PRECISA ESTAR SEMPRE PRONTO PARA RENOVAR SUA LINGUAGEM

Atualmente Jiddu Saldanha oferece oficinas de: Artes da Mímica e Teatro Físico, Contação de História, Direção Teatral, trabalhos com Cinema Digital além de shows, performances e espetáculos. CONSULTE-NOS www.jiddusaldanha.com.br

OBRIGADO POR ME PRESTIGIAR!

sábado, 14 de julho de 2012

Goiânia e o grupo SonhusTeatro Ritual!


Quem esteve na Primeira Mostra Internacional de Mímica de Brasília, conferiu de perto, artistas de peso, nomes como Miqueias Paz, Luis Louis. A presença do artista colombiano Jader Guerra, o grupo Lume, a Cia Corpo Fusion, de Cuba, e o “Sonhus Teatro Ritual”. Sem dúvida, uma bela experiência para o público, ver o extremo cuidado e o brilhante desempenho dos artistas que fizeram da mímica a grande vedete de Brasília nos dias de 07 a 10 de Junho de 2012. Algo para permanecer na lembrança e no coração.

Com bela cenografia, ótimos atores, o espetáculo "Travessia III - Êxodo"
parece uma mistura de artes visuais com cinema, mímica e expansão da linguagem de ator.
Em conversas de pé de ouvido com diversas pessoas presentes no festival, havia uma grande expectativa em torno da linguagem do grupo “Sonhus Teatro Ritual”, O espetáculo trazido por eles,  “ Travessia III – Êxodo” , faz parte de uma trilogia que são elas: “Travessia I – A Partida”, “Travessia II – De Tão Longe Venho Vindo” e este que tivemos o prazer de conferir no Teatro Plínio Marcos, em Brasília, “Travessia III – Êxodo”, até hoje em cartaz e que tem como centro da linguagem e pesquisa da cena a “Mímica Butoh”.  
O espetáculo "Travessia III - Êxodo", juntou uma equipe
internacional e é ganhador de diversos prêmios.
Embora a dança japonesa de caráter revolucionário naquele país tenha o status de dança é importante frisar que, aqui no Brasil, o Butoh foi assimilado pelos grupos de teatro; em especial  o grupo Lume de campinas  -  que também nos brindou com um espetáculo com forte pesquisa de “mímica butoh”  e do qual falaremos num outro artigo em outro momento deste blog -  que troxe, inclusive, alguns artistas dessa área para o Brasil.
São muitos as pesquisas oriundas do Butoh. Por volta dos anos 90, quando estudei na escola Angel Vianna, e essa “estranha” forma de dançar ainda era novidade por aqui, exceto pelo fato de circular pelo universo Nipo-Brasileiro  de São Paulo e em alguns ambientes de dança contemporânea. O Butoh, porém, ganhou a popularidade, ainda que restrita, entre os praticantes de teatro em diversos locais do país e hoje é muito mais divulgado, oferecendo uma rica possibilidade de desenvolvimento artístico-corporal.
Grupo Sonhus Teatro Ritual de
Goiânia.
Já o grupo “Sonhus Teatro Ritual” é formado por educadores, pessoas que decidiram levar o teatro para a educação e, mais que isso,  buscaram ampliar seus horizontes artísticos pessoais desenvolvendo uma ousada busca por um fazer teatral mergulhado na pesquisa e no desenvolvimento da cena brasileira. Não há dúvida que estamos falando aqui de um grupo, que, se por um lado é novo, com seus 15 anos de existência, por outro lado vem contribuindo para a mudança de paradigma que estamos vendo acontecer, atualmente,  no teatro brasileiro.
Lemdo sobre o grupo “Sonhus Teatro Ritual”, percebi que se trata de uma equipe focada e mergulhada numa busca aprofundada do fazer teatral e foi este grupo que tivemos a oportunidade de ver e sentir no palco do teatro Plínio Marcos, na Primeira Mostra Internacional de Mímica de Brasília.
VISITE A PÁGINA DO GRUPO - CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário